• Acidente em Taguai entra para a história como uma das maiores tragédias rodoviárias do país

    Acidente em Taguai entra para a história como uma das maiores tragédias rodoviárias do país. Foto: Reprodução Youtube

    A colisão entre um caminhão e um ônibus em Taguai, no interior de SP que deixou ao menos 41 mortos entra para a história como uma das maiores tragédias rodoviárias do Brasil.

    + Batida entre ônibus e caminhão em rodovia no interior de SP provoca 22 mortes
    + Motorista perde controle de carro e mata esposa e amiga em Levy Gasparian
    + Transportes em São Paulo terão operação diferenciada no domingo de eleição
    + Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em passageiro, veja o vídeo

    O incidente ocorreu na manhã desta quarta-feira (25), na rodovia Alfredo de Oliveira Carvalho, entre Taguaí e Taquarituba por volta das 7h, após o ônibus, que transportava funcionários de uma empresa, bater no caminhão que trafegava em sentido oposto.

    A última grande tragédia no estado de São Paulo ocorreu em 2016, quando um ônibus que levava estudantes tombou em uma pedra e capotou na rodovia Mogi-Bertioga e 18 pessoas morreram. Em 2016, o resultado da perícia apontou falha nos freios e falta de manutenção. O ônibus, da União do Litoral, era fretado pela Prefeitura de São Sebastião para fazer o trajeto da cidade do litoral norte até a Universidade de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo.

    Um dos maiores tragédias rodoviários da história ocorreu em São Paulo, também com estudantes. O evento ficou conhecido como Tragédia do Rio Turvo, quando um ônibus, que levava alunos de uma escola de São José do Rio Preto até Barretos, caiu de uma ponte no rio, e 59 das 64 pessoas que estavam no coletivo morreram.

    Também no estado de São Paulo ocorreu outra grande tragédia há 22 anos. Em setembro de 1998, próximo à cidade de Araras (SP), 55 pessoas morreram após um caminhão carregado de combustível tombar e explodir.

    Dois ônibus que levavam romeiros de Anápolis (GO) tentaram atravessar a fumaça e também foram atingidos pelo fogo, além de um caminhão que levava bebidas. A maioria morreu carbonizada ou pela inalação de fumaça do incêndio. A cidade de Anápolis tem hoje uma Praça dos Romeiros, em homenagem às vítimas da tragédia.

    Além desses eventos, dez anos antes, em 1988, dois ônibus colidiram na altura de Paranapanema (SP). Um dos veículos caiu de uma ribanceira na represa de Jumirim e 39 pessoas morreram.

    Naquele mesmo ano, um caminhão pau-de-arara capotou e caiu em um precipício em Cachoeira (BA) e 67 romeiros morreram.

    Em 1987, a colisão entre dois ônibus e um carro na BR-040, que liga Belo Horizonte ao Rio, deixou 62 pessoas mortas, todos eram romeiros.

    Neste ano, 4.085 pessoas foram vítimas do trânsito no estado de São Paulo de janeiro a outubro, menos que os 4.514 do ano passado no mesmo período, muito disso devido ao confinamento pelo Covid-19 que deixou menos pessooas nas ruas.

    Veja também:

    + Aos 68 anos, Bruna Lombardi posta foto de biquíni ‘contra sua vontade’
    + Marcella Rica e Vitória Strada vão se casar
    + Vídeos íntimos de Raissa Barbosa vazam em sites de conteúdo adulto
    + Carla Perez fala sobre vida nos EUA: “Aqui é vida normal”
    + Ellen Rocche posta foto de ensaio nu na ‘Playboy’ e ganha elogios dos fãs
    + O bico do seu p… é rosa? Juliana Caetano, responde a fã de maneira ousada
    + Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona
    + 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos
    + Veja o significado dos 10 sonhos mais comuns
    + Denise Dias faz seguro do bumbum: “Meu patrimônio”
    + Líder de seita sexual apocalíptica é condenado a 1.075 anos de prisão
    + Dançarina é condenada 3 anos de prisão por causa de vídeos no TikTok
    + ‘Borboletas no estômago’ indicam algo além de estar apaixonado
    + 10 sinais de que seu parceiro não te ama (como você gosta dele)


    Back to top