• Batida entre caminhão e ônibus deixa 11 mortos e 17 feridos em Pirapora – MG

    Batida entre caminhão e ônibus deixa 11 mortos e 17 feridos em Pirapora - MG

    Um acidente entre um caminhão e um ônibus na madrugada deste domingo (22/3) deixou 11 mortos e 17 feridos, na BR-365, em Pirapora, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

    + Após aumento do número de turistas, justiça manda interditar rodovia no litoral de SP
    + ABC Paulista suspende transporte público a partir do dia 29
    + Polícias Civil e Militar iniciam fiscalização do cumprimento do decreto de emergência em Santa Catarina

    De acordo com o Corpo de Bombeiros, os 11 mortos, que morreram no local do acidente, estavam entre os 27 ocupantes do ônibus, todos homens, que seguia de Salvador, na Bahia sentido Porecatu, no Paraná (PR), . Já o caminhão seguia do município de São Gotardo, em Minas Gerais, sentido Sergipe. Os corpos foram encaminhados para o IML de Pirapora.

    Segundo o Samu e o Corpo de Bombeiros, os feridos foram encaminhadas à Fundação Hospitalar Dr. Moisés Magalhães Freire, em Pirapora, e um homem de 27 anos foi levado em estado grave com traumatismo craniano à Santa Casa, em Montes Claros.

    Dos pacientes recebidos, segundo a Fundação Hospitalar, um deles, após avaliação médica, imediatamente, foi transferido para Montes Claros. “Outra vítima está estado grave no Centro de Tratamento Intensivo (CTI)”, disse a unidade.

    Ainda segundo o hospital, três pacientes passaram por cirurgia e será realizado procedimento cirúrgico em mais um atendido. Estão sob avaliação médica sete pessoas, que apresentaram ferimentos mais leves. Até as 12 horas deste domingo, três pessoas foram liberadas.

    Sobre o acidente, em nota, a PRF informou que, segundo levantamento preliminar, o ônibus invadiu parte da pista no sentido contrário quando colidiu contra o caminhão, que transportava repolhos, no ônibus foi detectado que o diagrama do tacógrafo estava vencido, não sendo possível verificar há quanto tempo o motorista estava na direção do veículo. A PRF reforça que não é possível inferir culpa a nenhum dos veículos até que os trabalhos de perícia estejam concluídos.

    Back to top