• Obras da Linha 6 do Metrô de São Paulo são retomadas depois de 4 anos

    As obras de construção da Linha 6 – Laranja do Metrô de São Paulo, paralisadas a 4 anos, serão retomadas a partir de amanhã (6) por um novo consórcio. A informação foi dada hoje (5) pelo governador de São Paulo, João Doria.

    + MC Brinquedo sofre acidente de moto dias depois de abandonar redes sociais
    + Duas mulheres desfilam de biquíni em carro pelo Leblon e cena acaba em confusão; veja o vídeo
    + Maceió: protesto de ex-funcionários da Veleiro e bloqueia a faixa azul da Avenida Fernandes Lima
    + Coutinho, ex-jogador do Vasco, morre aos 36 anos

    Linha 6 - Laranja do Metrô de São Paulo. Foto: divulgação
    Linha 6 – Laranja do Metrô de São Paulo. Foto: divulgação

    A linha, que deve fazer ligação entre algumas das principais faculdades de São Paulo, como a Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), a Pontifícia Universidade Católica (PUC), a Faculdade Metropolitanas Unidas (FMU), a Unip (Universidade Paulista) e o Mackenzie, está sendo chamada de Linha Universidade.

    Com 15,3 km de extensão, a Linha 6-Laranja do Metrô vai ligar a região da Brasilândia à Estação São Joaquim e terá 15 estações. Ela terá integração com outras quatro linhas do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O trajeto, que atualmente tem tempo médio de 1h30 e só pode ser feito por meio de ônibus no transporte público, passará a ser percorrido em 23 minutos quando todo o trecho estiver em operação, informou o governo.

    O projeto completo da Linha 6-Laranja inclui as seguintes estações Brasilândia, Vila Cardoso, Itaberaba, João Paulo I, Freguesia do Ó, Santa Marina, Água Branca, Pompeia, Perdizes, Cardoso de Almeida, Angélica, Pacaembu, Higienópolis-Mackenzie, 14 Bis, Bela Vista e São Joaquim. O trecho ainda facilitará a integração com a Linha 1-Azul do Metrô, 4-Amarela da concessionária ViaQuatro e 7-Rubi e 8-Diamante, ambas da CPTM.

    As obras estão sendo feitas por meio de uma parceria público-privada e, segundo o governo paulista, é a maior obra nesse formato em desenvolvimento na América Latina. De acordo com o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, não devem ocorrer problemas judiciais, porque todo o processo de desapropriação para a obra já está pronto.

    O investimento total da obra é de R$ 15 bilhões e, segundo previsões, deve gerar 9 mil empregos diretos. Quando for concluída, a Linha 6-Laranja vai atender diariamente a mais de 630 mil passageiros.

    A construção e a operação da Linha 6-Laranja serão feitas pelo grupo espanhol Acciona, que adquiriu o direito do consórcio Move São Paulo. A previsão é que a obra seja totalmente concluída em cinco anos. A concessão inclui ainda a aquisição de toda a frota, que deverá ter 22 trens, e prevê 19 anos para manutenção e operação.

    Histórico
    A construção da Linha 6-Laranja teve início em janeiro de 2015 pelo Consórcio Move e tinha previsão inicial de entrega até 2021. No dia 2 de setembro de 2016, por decisão unilateral, a Move São Paulo informou a paralisação integral das obras civis. No início deste ano, o grupo Acciona assumiu a construção, operação e manutenção da Linha 6-Laranja.

    Fonte: Agência Brasil

    Back to top